RESÍDUOS SÓLIDOS

Produção e coleta de resíduos

Hoje em dia vivemos em um mundo em que a natureza é extremamente agredida. Toneladas de matéria-prima, produzidas dos mais diferentes lugares da Terra, são industrializadas e consumidas criando rejeitos e resíduos, que são chamados de lixo. Assim, lixo é todo material descartado, procedente das atividades humanas.

Quem produz mais lixo no mundo?

Um relatório do Banco Mundial juntou uma enorme quantidade de informações a respeito da produção e a gestão de resíduos sólidos urbanos .

O total mundial de resíduos sólidos produzido é de 1,3 bilhões de toneladas por ano, ou 1,2 kg por dia para cada habitante das cidades. Aproximadamente metade disto é produzido nos países da OCSE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, que inclui 34 países). Estima-se que o valor total irá aumentar para 2,2 bilhões de toneladas em 2025, com a China que vai aumentar de três vezes a sua quantidade (de 520 milhões de toneladas para 1,4 bilhões).

ME_75_Leeeexo.indd

Os Estados Unidos da América ocupam o primeiro lugar nessa classificação. É produzido em média por cada cidadão em um único dia mais de 2,5kg de resíduos. Na Noruega do mesmo modo alcança estes níveis. A Itália produz perto de 89.000 toneladas de resíduos por dia, 2,23 kg por pessoa (considerando apenas a população urbana, cerca de 40 milhões de pessoas), com a previsão de uma baixa redução (86.500 toneladas) em 2025.

É importante ressaltar que em decorrência do fato de que vários países não possuem ainda um sistema de controle de dados bem elaborado e políticas definidas, os dados ainda estão incompletos. Se cada habitante do planeta produzir 1 kg de lixo por dia, então teremos mais de 7 milhões de toneladas de resíduos sendo produzidas diariamente.

Vários países já entenderam o potencial no setor de resíduos sólidos e desenvolvem tecnologias específicas para solucionar os problemas. Nesse mercado gigantesco, as chances para quem investe só aumenta se considerarmos que a humanidade não vai poder fugir das soluções ambientalmente corretas que o setor necessita. Empresas que se estabelecerem agora, poderão em um futuro próximo rapidamente expandir para mercados internacionais.

g2

Produção de lixo no Brasil

Uma pesquisa realizada em 364 cidades aponta que o nosso país já se aproxima dos Estados Unidos, o campeão em produção de lixo no mundo.

O brasileiro já produz a mesma quantidade de lixo que um europeu. A melhoria da capacidade de compra dos cidadãos brasileiros está fazendo com que a população do país produza cada vez mais lixo inorgânico, como embalagens, ao mesmo tempo em que a implantação de programas de coleta seletiva e os níveis de reciclagem não crescem na mesma medida.

A média de geração de lixo no Brasil hoje é de 1,152 kg por habitante por dia, padrão próximo aos dos países da União Europeia, cuja média é de 1,2 kg por dia por habitante. Nas grandes capitais, esse volume cresce ainda mais: Brasília é a campeã, com 1,698 kg de resíduos coletados por dia, seguida do Rio, com 1,617 kg/dia, e São Paulo, com 1,259 kg/dia.

“Alcançamos um padrão europeu de geração de resíduos e estamos nos aproximando dos americanos. Infelizmente, isso está acontecendo sem alcançarmos o mesmo grau de desenvolvimento desses países

Segundo pesquisas, a produção de resíduos em capitais como Brasília está caminhando para se tornar próxima aos 2,8 kg por habitante/dia, que é a média de um cidadão americano. Podemos observar com isso muito a respeito dos hábitos de consumo e descarte dos habitantes dessas cidades. Podemos notar que quanto mais alta a renda é, maior será o consumo de alimentos prontos, por exemplo, que por consequência  resulta em excesso de embalagens.

De acordo ainda com pesquisas, 56,8% desse lixo tem como destino aterros sanitários, 23,9%  aterros controlados (que não possuem tratamento de chorume) e 19,3% termina em lixões. Os aterros das grandes cidades, porém, caminham para a saturação.

Coleta seletiva

Os sistemas de coleta seletiva das cidades brasileiras não conseguem acompanhar o ritmo da produção de resíduo no país. Mesmo com o fato de que a geração de resíduos tenha crescido 7,7% entre 2008 e 2009, o número de cidades com iniciativas de coleta seletiva avançou apenas 1,2% no período. Em 2008, 55,9% dos municípios brasileiros tinham programas; em 2009, eram 56,6%.

Existe uma entidade chamada Abrelpe que reúne empresas de coleta de lixo. E o seu diretor executivo, Carlos Roberto Silva Filho disse: “As atividades de coleta seletiva de materiais recicláveis parecem ter chegado a um ponto de indefinição. Pouco mais da metade dos municípios tem iniciativas nesse sentido ou estimulam tais atividades, mas esse índice não avança na mesma medida que a geração de resíduos”. Segundo ele, projetos voluntários são apenas uma solução parcial para o problema.

O diretor observa, no entanto, que a geração de lixo é menor justamente nas capitais que possuem programas bem-estruturados de coleta seletiva, como Porto Alegre, que está abaixo da média nacional na produção diária de resíduos por habitante.

No mesmo tempo em que o brasileiro gera em média 1,152 kg por dia, o porto-alegrense gera 1,073. Curitiba, que também tem coleta seletiva eficiente, gera 1,195 kg por habitante/dia, média um pouco  superior à nacional. “Ao separar os resíduos, o cidadão presta atenção no lixo que produz. E esse é o primeiro passo para reduzir”, afirma Carlos.

A coleta seletiva de lixo é extremamente importante para a sociedade. Além de gerar renda para milhões de pessoas e economia para as empresa, também significa uma grande vantagem para o meio ambiente uma vez que diminui a poluição dos solos e rios. Este tipo de coleta é de extrema importância para o desenvolvimento sustentável do planeta.

Fonte:

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/quem-vai-cuidar-do-lixo-750896.shtml

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/ricardo-abramovay-e-a-riqueza-do-lixo-763575.shtml

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/lixo-uma-montanha-que-so-cresce-763784.shtml?func=1&pag=1&fnt=14px

http://www.infograthinking.blogspot.com.br/2008_06_01_archive.html

http://glaucolara.arteblog.com.br/2/

http://axelgrael.blogspot.com.br/2013/11/desperdicio-de-alimentos-x-conservacao.html

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,brasileiro-produz-tanto-lixo-quanto-europeu,556731,0.htm

http://www.amambainoticias.com.br/brasil/dia-mundial-do-meio-ambiente-como-o-desperdicio-causa-fome

—***—

1273 coleta_seletiva2

 

—***—

Coleta Seletiva em Santo André

Para os moradores do município de Santo André, umas das cidades integrantes da região do ABC, área metropolitana de São Paulo, desde 2000, apresenta um sistema de coleta seletiva atendendo à todos os bairros da cidade. Além, de apresentar uma coleta para resíduos secos e úmidos, que ocorrem em dias diferentes.

Os resíduos recolhidos são destinados à programas de caráter social, como por exemplo, os resíduos secos (recicláveis) são encaminhados para cooperativas e para o projeto Usina de Papel.

Para maiores informações, sobre quando a coleta passa no seu bairro e endereços de estações de coletas distribuídas em quase todos os bairros do município, acesse o link : http://www2.semasa.sp.gov.br/node/65  e/ou http://www2.semasa.sp.gov.br/node/64.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s